Um lugar para se hospedar e as melhores vinícolas para conhecer em Mendoza

  Acabei de voltar de Mendoza e compartilho aqui minha hospedagem, meu melhor almoço e minhas “top 3” vinícolas em Mendoza!

  Catena Zapata

 

  No caminho ao Vale do Uco, saindo da cidade de Mendoza, passei por Agrelo. A visita à Catena Zapata já havia sido reservada com três meses de antecedência. Realizamos a visita à tarde. A história da família é cativante e a equipe é bem treinada. Os brasileiros conhecem bem esses vinhos, porém ao contrário do que eu imaginava, foi uma das melhores visitas em Mendoza. Além disso, seus vinhos têm evoluído, porque a Laura Catena está constantemente realizando testes e efetuando aprimoramentos, já que é responsável pela pesquisa e desenvolvimento dos produtos.

 

  Fiz a degustação do Adriana, Nicolas, Nicasia, DV Catena e de quebra foi oferecido um vinho de sobremesa especial da linha Saint Felicien. Todos os vinhos são incríveis! O que mais me surpreendeu foi o Cabernet Franc, por suas notas tostadas, lácteas, aromas de lavanda, alecrim, tomilho e frutas vermelhas e negras como framboesa e ameixa. Em boca, a fruta vermelha é equilibrada por um agradável paladar lácteo, de uma elegância e complexidade impressionantes.

 

  O vinho de sobremesa apresenta notas abacaxi maduro, especiarias e um final de mel muito agradável, sem ser enjoativo.

 

  O melhor almoço: Domaine Bousquet

 

  Chegando ao Vale do Uco, o Domaine Bousquet possui um restaurante chamado Gaia. Este foi o melhor almoço de minha viagem, um dos melhores da vida e com o melhor preço em Mendoza. Além disso, o atendimento é maravilhoso, o chef veio conversar conosco e os vinhos são servidos à vontade. O visitante estará comendo verduras frescas da horta da vinícola e tomando seus vinhos orgânicos, frutados, com boa acidez, com destaque para o vinho branco feito de 50% uva Torrontés e 50% Chardonnay. A uva Torrontés é bastante aromática, com nariz de flores brancas, especial!

 

  Enquanto eu escrevo este post, sinto saudades de Mendoza já, da Cordilheira, dos cheiros das flores, tomilho e alecrim que estão ali naturalmente, e também da brisa fresca da noite no Vale do Uco…

 

  Tupungato Divino

 

  Ao lado do Domaine Bousquet, está o Tupungato Divino que oferece uma hospedagem incrível, por um preço razoável. O Tupungato Divino fica entre diversos vinhedos, em uma paisagem linda de morrer. Pode-se caminhar por ali, andar de bicicleta, aproveitar o por do sol próximo à Cordilheira dos Andes. Há um restaurante e o atendimento aos hóspedes é muito atencioso, mesmo quando não há jantar por alguma eventualidade, eles oferecem sopas, empanadas e outras opções muito boas. O quarto é espaçoso, com lareira e ar condicionado, escrivaninha, sala de TV, armários e banheiro grande com amenidades como shampoos feitos de vinho. Apresentam muitos rótulos, caso o cliente queira provar vinhos da região sem sair do hotel.Um único inconveniente é que não aceitam cartão de crédito.

 

  Super Uco, a melhor visita

 

  A vinícola SuperUco é biodinâmica e todos os vinhedos são plantados em círculos ao redor da casa principal, onde acontece a vinificação e as degustações. O próprio proprietário da vinícola estava me aguardando, e posso lhe dizer que foi a melhor visita que já fiz a alguma vinícola. Ele foi muito atencioso, nos explicou muitos detalhes. O SuperUco é uma vinícola inovadora que não planta seus vinhedos da forma convencional. O intuito de Michelini é formar vinhedos da melhor qualidade que possam buscar a água sozinhos, de forma que não haja mais intervenção. Sua filosofia é o respeito ao terroir, e produz vinhos “honestos” e autênticos, sem alterá-los ou corrigí-los.

 

      Na degustação, tivemos a companhia também do Tito.

 

 

      Esta é a mesa da degustação.

  Provamos os vinhos da linha Calcário, com destaque para os Malbecs, um de Tupungato e o outro 100% feito dos vinhedos biodinâmicos. Os dois apresentam muita mineralidade e personalidade e um incrível sabor de groselha! Eu adquiri a vinho biodinâmico Malbec Calcário da Safra 2013, o do canto esquerdo da foto com a garrafa diferente.

  Este é o vinho maravilhoso vinho ícone SuperUco!

 

  Piedra Infinita

 

  A visita teve uma boa explicação, porém o que chama a atenção é a arquitetura do local e seus vinhos.
O vinho Zuccardi Q Cabernet Sauvignon e o Zuccardi Z foram os meus favoritos. O Zuccardi Q é muito gostoso, frutado, encorpado com especiarias. O Zuccardi Z apresenta frutas vermelhas e negras maduras e uma mineralidade que eu poderia dizer que tem gosto de mariscos. Não tentei harmonizar mariscos com este vinho, mas deve ficar divino!

 

  Espero ter ajudado!

  Abs!

4 thoughts on “Um lugar para se hospedar e as melhores vinícolas para conhecer em Mendoza

  1. Júlio César says:

    Talita, como foi o roteiro, vc foi primeiro a Catena e depois para Domaine, pernoitou no Tpungato Divino e no dia seguinte fez Super Uco e Piedra Infinita? Vale a pena almoçar no El Enemigo?

    • Talita Bragato says:

      Olá Julio,

      Neste post, tem um roteiro pronto com mapa https://grandterroir.com.br/2017/01/30/querroteiroprontodemendoza/

      Eu cheguei em Mendoza, dormi uma noite no Ibis. No dia seguinte, fui a Catena Zapata e depois segui viagem para o Vale do Uco, me hospedei no Tupungato Divino. No outro dia, fiz de manhã Domaine Bousquet e à tarde Salentein. No dia seguinte, fiz Super Uco de manhã e à tarde Diamandes. Tem a opção de fazer Gimenez Rilli à tarde que é encostado no Super Uco, conforme o mapa do post. No outro dia, fiz Piedra Infinita de manhã e O. Fournier à tarde. Eu não conheci o restaurante do El Enemigo. O melhor almoço foi na Domaine Bousquet, do lado do Tupungato Divino. No Tupungato Divino, à noite, comi umas empanadas muito boas, acho que eles devem ter almoço muito bom também. Qualquer dúvida, estou à disposição. Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *