Sobre Bordéus – Clima e Uvas utilizadas

     Quando eu comecei a apreciar vinhos, fiz uma viagem a Bordéus. Lembro-me de encontrar um aplicativo que dizia quais anos eram os melhores. Isso é muito importante em Bordéus, pois há uma considerável variação das safras por conta do clima. Durante a viagem, uma amiga francesa me disse que quando a safra é boa, o produtor não é tão relevante. Porém, se a safra é ruim, os melhores produtores irão se preocupar em rejeitar as uvas que não estão maduras ou que não estejam em um bom estado sanitário. Dessa forma, irão produzir menos para não perder qualidade ou decidirão não produzir naquele ano. Portanto, ao selecionar um vinho no supermercado para um piquenique em Bordéus, lembre-se de procurar as melhores safras e assim, conseguirá uma boa relação custo-benefício.

Mapa de Bordéus

   

   Uma breve descrição do Clima

     Bordéus tem um clima marítimo moderado que se beneficia do efeito da corrente quente do Golfo. Isto prolonga a temporada de crescimento e permite o cultivo de uvas de amadurecimento mais tardio, como a Cabernet Sauvignon. Os vinhedos são protegidos das más tempestades do Atlântico pelo Bosque das Landas e pelas Dunas da Costa que se encontram a oeste da região. Mesmo com essa proteção, o Atlântico trás níveis altos de umidade e a chuva cai ao longo de todo ano. A precipitação pode interromper a floração e o vingamento, promover a podridão e diluir os sabores na época da vindima.

Vinhedos em Bordéus

  Castas

     É arriscado depender de apenas uma casta em Bordéus, por conta da variabilidade do tempo. A maioria dos vinhos de Bordéus são feitos com uma mistura de castas. As regras de denominação de origem permitem a utilização de treze castas, sendo que três tintas e duas brancas são as predominantes.

    Variedades tintas

Degustação em Saint-Émilion

    Cabernet Sauvignon

     Dominante em Haut-Médoc e importante em Médoc e Graves. Nessas regiões, o solo é composto por uma grande quantidade de pedras e cascalho, que aumentam a temperatura da vinha e permitem o cultivo desta casta.

   Cabernet Franc

     Predominante em Saint-Émilion, e em menor quantidade em Médoc e Graves. Os vinhos produzidos desta casta tem menos corpo e taninos que a Cabernet Sauvignon. Esta casta pode trazer ao corte notas florais e de fruta vibrante. Prefere solos quentes e com boa drenagem.

   Merlot

     É a casta mais plantada em Bordéus. É bastante importante nos vinhos de qualidade superior de Saint-Émilion e de Pomerol. Consegue se desenvolver em solos argilosos mais frios. É também a casta predominante nos vinhos econômicos.

   Petit Verdot

     Plantada em quantidades bem menores, ela desempenha um papel secundário nos cortes, sendo utilizada para adicionar taninos, cor e notas especiadas.

  Variedades brancas

   Sémillon

     Devido à sua pele fina e à sua afinidade com a podridão nobre, a Sémillon é a variedade mais importante para a elaboração dos vinhos doces de Bordéus. É combinada com a Sauvignon Blanc para os vinhos secos de qualidade superior de Pessac-Léognan e de Graves.

Vinhos doces Sauternes

   Sauvignon Blanc

     É cada vez mais usada para fazer vinhos brancos secos varietais.

   Muscadelle

     Apresenta pronunciado sabor floral e de uvas e desempenha um importante papel secundário nos vinhos doces e secos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *