Minha experiência com o WSET 2

 

     No caminho para o crescimento, o conhecimento é essencial. O crescimento não necessariamente precisa ser profissional, muitas vezes, ele deve ser pessoal. O conhecimento alimenta a alma, proporciona bons momentos e grandes amizades. Além disso, transforma-se em cultura e então esta transforma vidas. Que tal um pouco de mais de conhecimento sobre vinhos?

        O Curso de Vinhos WSET 2

     Independentemente de uma carreira profissional, acredito que seria interessante o amante de vinhos fazer os cursos da “Wine & Spirits Education Trust” (WSET), até o segundo nível! Hoje vou falar da minha experiência com o WSET 2 com a escola de vinhos certificadora do WSET no Brasil, a The Wine School.

Teve até White Zinfandel! De longe da pra sentir o aroma de compota de morango!

   Fiz o curso em dezembro de 2017 no Rio de Janeiro, no Hotel Copacabana Pallace, aproveitando um feriado de São Paulo que caiu em uma sexta-feira. Assim, pude conciliar meu trabalho em outra cidade e o curso.
Uma das vantagens de se fazer o curso com a The Wine School é que as aulas são ministradas em poucos dias (3 dias para o WSET2). Dessa forma, os alunos que moram em outras cidades ou que tem pouco tempo disponível, conseguem se programar. Após a matrícula, o material do curso é enviado para que o aluno estude antes, por no mínimo 12 horas antes das aulas. No meu caso, achei o conteúdo denso, com bastante detalhes e a memorização é mais eficiente quando já há experiência prévia, por exemplo, alguma viagem já feita ou algum vinho tomado. Uma das coisas mais importantes do material foi a ficha técnica para a degustação que já ajuda o aluno a se acostumar com a sistemática e conseguir avaliar a qualidade de um vinho. 

Veja uma parte da ficha de apoio à Técnica de Prova de vinho.

   Outro diferencial do curso da The Wine School é a equipe de profissionais. O professor que nos deu aula está tentando o título de Master of Wine, uma das mais altas qualificações profissionais da indústria. Desde 1955 até hoje, poucos profissionais no mundo conseguiram esta qualificação. O Bernardo nos deu muita informação e compartilhou um pouco de sua bagagem conosco, além de ter sido uma grande referência para a nossa degustação de vinhos em grupo.

Um dos slides da aula.

   A inscrição do curso WSET2 na The Wine School incluiu:

  • Curso de 3 dias (24 horas) e cerca de 50 bebidas entre vinhos e destilados;
  • Exame do Curso Qualificação de Nível 2 em Vinhos e Destilados WSET®;
  • Certificado Internacional Qualificação de Nível 2 em Vinhos e Destilados WSET® (sujeito a aprovação no exame);
  • Livro texto oficial “Olhando para Além do Rótulo” do WSET®;
  • Caderno de Exercícios;
  • Especificações de Qualificação de Nível 2 em Vinhos e Destilados WSET®;
  • Ficha Técnica Sistemática de Prova de Vinho WSET® Nível 2;
  • 1 jogo de 6 Taças ISO, Oficial da The Wine School®;
  • Permissão de uso do logo e selo de certificação do curso de Qualificação de Nível 2 em Vinhos e Destilados WSET® em cartões de visita e outros documentos pessoais do aluno (sujeito a aprovação no exame);
  • O Material do curso e o exame são em português (consulte outros idiomas disponíveis).
Degustação de Riesling Alemão e Australiano.

    Fizemos diversas degustações de vinhos do mundo todo, de todos os estilos, realizando comparações entre uvas, entre percentuais de castas e entre regiões. Muitos dos vinhos escolhidos na degustação da The Wine School eram de excelente qualidade, inclusive um Barolo inesquecível que me fez sonhar com uma adega cheia de Barolos (socorro, está na figura abaixo rs!!).

Destaque para o vinho de sobremesa Chateau Ramon, Monbazillac, France, um melhor custo-benefício que os Sauternes.

      Todas as degustações foram muito interessantes, principalmente dos vinhos da Nova Zelândia, Austrália, África do Sul – que são pouco conhecidos por nós brasileiros, mas que são de excelente qualidade – e dos espumantes, vinhos de sobremesa e fortificados (inclusive os Jerez).

Diferenças entre Chardonnays da Nova Zelândia ( Marlborough) e da Borgonha (Poilly-Fuissé) e percentuais de Cabernet Sauvignon e Merlot.

 

Estas foram as degustações de Syrah (norte e sul do Ródano, na França e de Clare Valley na Austrália)

 

Pensa em um Jerez bom…

Houve muitas outras degustações, inclusive de destilados, porém são tantas, que deixarei para as próximas postagens no Instagram!

A Gerente Comercial da The Wine School, Edna, é muito atenciosa, qualquer dúvida sobre inscrição e material, só mandar e-mail para vendas@thewineschool.com.br

Também fico à disposição!

Abs!

8 thoughts on “Minha experiência com o WSET 2

  1. Daniel says:

    Oi Talita, tuo bem? Parabéns pela postagem e pelo site! Muito bem feito!
    Uma dúvida…
    Eu fiz o WSET1 este fds em São Paulo, também pela The Wine, e já estou me programando para fazer o WSET2. Vi aqui no post que vc mencionou o jogo de 6 taças…. A The Wine presenteou os alunos com estas taças? rsrsrs…. Fiquei curioso….
    Sobre o material que vc recebeu, ele é colorido?
    Um forte abraço!

    • Talita Bragato says:

      Oi Daniel, tudo bem e você? Sim, ficamos com as taças! Elas são ótimas para fazer as degustações, quando se está estudando. O material veio colorido! Muito obrigada, fico feliz que tenha gostado! Qualquer dúvida, estou à disposição. Um grande abraço!

  2. Luciano says:

    Oi, Talita! Tudo bem? Você considera essencial que um aluno faça primeiro o WSET 1, para então fazer o WSET 2? Com relação ao material do WSET 2, o quanto ele é denso? O livro tem aproximadamente quantas páginas? Obrigado.

    • Talita Bragato says:

      Olá Luciano, tudo bem e você? Na época eu fiz e foi importante para mim porque eu não conhecia nada sobre vinhos. Também não tinha muitos anos de “litragem” (quantidade de vinhos degustados). Acho que se você já tem uma formação como sommelier ou enólogo não há necessidade, pois o conteúdo é bem básico, livro bem fininho. De qualquer forma, o WSET 1 é valido pelas comparações e degustações e tem sempre a agregar. O WSET 2 já é bem mais denso, é totalmente diferente e já acostuma o aluno com a sistemática de prova do vinho que é necessária para o WSET 3. No momento, eu não sei precisar a quantidade de páginas do livro do WSET 2, porém, é uma leitura tranquila e agradável, meu conselho é ir lendo aos poucos, 1 mês ou mais antes do curso e quando estiver mais próximo da data do curso, você faz a leitura novamente, acredito que assim irá estar com tudo mais fixado e fresco, pronto para a aula. Fico à disposição aqui e no instagram grand.terroir

  3. Temóstenes Tavares says:

    Olá Talita, boa tarde!
    Gostei da sua postagem, e principalmente dos vinhos provados; parecem ser ótimos rótulos! Fiz o WSET1 há pouco e me inscrevi no WSET2 para novembro. Já iniciei os estudos. Gostaria que você comentasse sobre o exame escrito e o deguatativo, e se você pretende encarar o WSET3. Abraços e saúde!

    • Talita Bragato says:

      Olá Temóstenes, boa tarde! Obrigada! Eu conclui o WSET 3 em abril deste ano. O WSET 2 tem um conteúdo bem mais denso que o WSET 1. Além disso, já acostuma o aluno com a sistemática de prova de vinho que é necessária para o WSET 3. Não há prova de degustação no WSET 2, são apenas questões múltipla escolha. Já no WSET 3, há múltipla escolha, questões abertas discursivas (o bicho pega) e prova de degustação. É muito bom ir estudando com antecedência de forma tranquila, são bastante detalhes e quando estiver mais próximo da data do curso, você faz a leitura novamente, acredito que assim irá estar com tudo mais fixado e fresco, pronto para a aula. Fico à disposição aqui e no instagram grand.terroir

  4. Daynara Gonçalves says:

    Olá Talita! Suas postagens sempre muito esclarecedoras! Sou enóloga formada e pretendo fazer os cursos da Wine and Spirit, porém tenho dúvida se faço a WSET 1 ou vou logo pra WSET 2. Tenho receio de, indo pra WSET 2, acabe perdendo algo mesmo já tendo experiência na área. Há essa possibilidade ou WSET 1 é bem tranquilo?

    • Talita Bragato says:

      Olá Daynara, obrigada!! Fico feliz que esteja acompanhando! Geralmente, há uma espécie de teste (pelo menos na The Wine School tinha) para saber seu nível de conhecimento e se já poderia fazer o nível 2 de cara. Eu faria o nível 1, mesmo com conteúdo bem simples. Na verdade, eu já até cheguei a me arrepender de ter feito o nível 1, quando o conclui, mas depois ficou claro para mim, após ter feito o nível 2 e o 3, que o 1 foi importante, por conta da minha inexperiência na época e pela oportunidade de ter tido uma degustação orientada antes do WSET 2 (que é muito mais pesado). Eu não recomendo o nível 1 para pessoas que fizeram cursos que tem bastante foco em serviço e degustação como os da ABS (Associação Brasileira de Sommeliers) e que tenham experiência na indústria de vinhos… Espero ter ajudado. Permaneço a disposição aqui e no instagram grand.terroir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *