Conheça um vinho que pode envelhecer por mais de 1 século

Ao pé dos Alpes, ao norte de Piemonte, há uma região chamada Canavese, que engloba as denominações de origem Erbaluce di Caluso DOCG e Carema DOC.  Nesta área, há o anfiteatro morenico de Ivrea, uma formação geológica derivada da era glacial, com um solo arenoso e pedregoso, rico em minerais. Hoje falarei sobre a DOCG Erbaluce di Caluso. 

Erbaluce di Caluso DOCG 

Caluso Passito 1985 – Produtor Orsolani

Historicamente, o Erbaluce di Caluso em sua versão passito possuía a mais alta reputação entre os vinhos brancos de Piemonte. Assim como outras apelações do norte de Piemonte durante o século XX, houve a impossibilidade de trabalhar por conta da guerra. Recentemente, os vinhos Erbaluce de Caluso retomaram o prestígio de antes, não só na versão tradicional de vinho doce (passito), mas também com vinhos brancos secos e espumantes. Os vinhos secos dessa região estão entre os mais interessantes varietais brancos de Piemonte. A apelação conquistou a mais alta classificação de qualidade, a  Denominação de Origem Controlada e Garantida em 2010.

La Rustìa – Erbaluce di Caluso DOCG, Vinho Branco Seco, Produtor Orsolani.

Os vinhedos dessa região estão localizados em suaves colinas com elevação de 200 a 500 metros, nos bancos morenicos de Ivrea, entre as cidades de Ivrea e Caluso. Estão predominantemente agrupadas entre os lagos de Candia e Viverone. 

Os vinhos são feitos apenas com a uva autóctone Erbaluce. De origem grega, ela se adaptou bem ao solo ácido e arenoso-pedregoso. Os vinhedos são cultivados em Pergola.

Uva Erbaluce

A alta acidez da uva Erbaluce permite fazer vinhos doces extraordinariamente equilibrados. Além disso, por causa da acidez, as uvas precisam estar completamente amadurecidas para serem colhidas.  

Com a Erbaluce, são feitos vinhos secos, espumantes e o vinho doce passito. O vinho passito é feito por meio da secagem das uvas – os romanos perceberam que a casca da uva era grossa, capaz de suportar a secagem – em dois principais estilos. O estilo tradicional possui uma cor âmbar, é levemente oxidado e muito complexo. Já o moderno tende a apresentar uma cor dourada, é mais delicado e frutado e é envelhecido em carvalho novo. Os vinhos passito devem ser envelhecidos pelo menos por 3 anos (4 para o Riserva) e podem envelhecer por mais de 100 anos!!

Processo de Appassimento (secagem das uvas Erbaluce), Vinícola Orsolani

Os melhores exemplos são vinhos com acidez vibrante, mineralidade, aromas florais atraentes como os de acácia e um leve final de amêndoa. Vale a pena experimentar!

Um produtor referência nesta região é Gian Luigi Orsolani. Perguntei a ele qual é o segredo para fazer um vinho de alta qualidade e a resposta está vídeo a seguir: 

https://www.youtube.com/watch?v=cIHTRXK-vlY&t=1s

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *